O indício maior de que você chegou irremediavelmente à vida adulta é torcer para que as férias acabem. As suas, caso ainda conte com esses privilégios, em casos graves, e a das crianças, caso seja um ser humano como os outros.

As férias mudam completamente a rotina da família. Especialmente para quem trabalha em casa, como é meu caso. As 4, 6 ou 8 horas que x pequenx fica na escola são sentidas e o termo “produtividade” ganha outros significados quando você tem que se virar para fazer o trampo do dia todo em curtos (às vezes curtíssimos) intervalos.

Mas falando assim, parece que é horrível. Na verdade é o oposto. As férias também são uma ótima oportunidade para fazer várias coisas que a correria dos “dias úteis” não deixam. Ir com elx comprar o pão do café, cozinhar o almoço/janta enquanto a criança ajuda, dar passeios na terça à tarde — embora nos passeios das férias, uma ideia que parece genial não é nada original. TODO lugar está lotado de pais que, assim como você, tiveram um momento “Eureka!”

Ficar com as crianças por um(s) dia(s) inteirinhos, do acordar ao sono, também ajuda a entendê-las melhor. Suas manias, seus tédios e é um exercício constante de caçar coisas para fazer quando a TV não é mais interessante (acreditem, isso acontece!).

É também hora de autocontrole e negociações, especialmente de tempo. Sobre isso, falei um pouco aqui. É, acima de tudo, um ótimo período para vocês se conhecerem melhor. Para quem vive aquele modelo de pai-que-trabalha-fora, um dia de semana em casa vai te ensinar muito mais sobre seu filho do que dezenas de fins de semana.